Buscar

3 passos efetivos para uma operação de serviços urbanos de sucesso

Cada vez mais, ferramentas e técnicas são buscadas pelos melhores gestores visando aumentar a performance de suas equipes de campo, sendo crucial em um mercado de trabalho altamente competitivo.


Veja a seguir passos fundamentais para atingir performances de sucesso com as suas equipes de campo. Esperamos que aproveite esta leitura!



Como melhorar a performance da sua empresa

São 3 os passos para melhorar a performance da sua empresa: planejar, agir e medir. A seguir, detalharemos cada passo visando que os gestores possam se guiar em busca deste objetivo estratégico.


1. Planejar

Pensar e planejar estrategicamente as ações do seu negócio, seja este grande ou pequeno, causa impactos do início ao fim do processo. Durante a execução de cada etapa, muitas reflexões otimistas podem surgir por parte dos gestores e dos demais colaboradores, garantindo um melhor desempenho de suas funções e podendo contribuir para finanças mais favoráveis.


Planejamento estratégico: conceito e importância

Esta ferramenta permite orientar quanto a visão de futuro da empresa, alinhando e estabelecendo onde o negócio quer chegar. Além disso, é possível identificar em detalhe os cenários envolvidos, auxiliando na definição dos primeiros passos e dos obstáculos esperados.


De maneira geral, trata-se de elencar a missão, a visão e os resultados esperados pela organização, bem como as metodologias e planos de ação a serem executados para que estes objetivos sejam concluídos.


Uma das etapas do planejamento estratégico é a mensuração, que busca entender os resultados apresentados na execução dos planos de ação, compreendendo os impactos gerados. Indicadores de desempenho como, KPIs e/ou KRs (do inglês, Key Performance Indicators e Key Results) são altamente recomendados para mensurar objetivos.


Sendo indispensável nos negócios, o planejamento estratégico conta com plataformas automatizadas cada vez mais práticas. De maneira digital e em tempo real, as plataformas são capazes de sincronizar tarefas e emitir alertas, permitindo que os prazos e contratempos sejam visualizados brevemente para tomadas de decisão ágeis.


É importante ressaltar que o sucesso do planejamento estratégico está diretamente relacionado à cultura organizacional da empresa. Este processo de transformação digital requer a adaptação a novas ferramentas de trabalho e o comprometimento dos gestores e das equipes de campo aos objetivos do negócio como um todo.


Com gestores e equipes de campo mais engajadas, esta transformação garante tomadas de decisão mais coerentes e organizadas por meio de análises de causas e viabilização de mecanismos corretivos, refletindo em melhores resultados para a empresa.


2. Agir

Planejamos para impulsionar os empreendimentos de maneira assertiva e agimos para aplicar as ações necessárias para concluir o planejamento definido. Trabalhar com planos de ação, estabelecendo metas e iniciativas, permite que as ações sejam executadas de forma estruturada e que os objetivos previamente definidos sejam alcançados.


Planos de ação e iniciativas: conceito e importância

Esta ferramenta é essencial quando se quer atingir um determinado objetivo. O plano de ação exige que sejam elencadas todas as ações e atividades necessárias, bem como os resultados esperados, para que aquele objetivo seja alcançado.


Para que este mecanismo esteja completo, outras informações devem ser estabelecidas, sendo estas os responsáveis, os prazos e os recursos necessários para cada uma das ações listadas.


A criação de iniciativas também é uma ferramenta importante neste processo. Cada vez mais utilizada pelos gestores, está vinculada à metodologia de OKRs e se diferencia dos planos de ação apenas pelo processo do respectivo método.


A partir destes conceitos, já podemos concluir sobre a importância destas ferramentas para a execução do planejamento estratégico estabelecido. Nesta etapa, oportunidades e riscos são cuidadosamente analisados, permitindo que a empresa esteja preparada para lidar com eles em cenários posteriores.


Quando estabelecemos os recursos materiais e financeiros necessários para cada ação ou iniciativa, visualizamos a sua execução do início ao fim, permitindo mais clareza e segurança para tomadas de decisão mais precisas.


Melhorar a comunicação interna e estimar o desempenho de cada processo são benefícios relevantes destas ferramentas. Mas o principal é a otimização de tempo e recursos que evita desperdícios e garante o redirecionamento estratégico de mão de obra e recursos financeiros.


3. Medir

Acompanhar o planejamento e o plano de ação estabelecidos é uma etapa fundamental do processo de gerenciamento de operações. Para medir este desempenho e visualizar, por exemplo, se os objetivos estão sendo cumpridos, se os clientes estão satisfeitos ou, ainda, se o negócio está sendo lucrativo, recomenda-se o uso de indicadores de desempenho.


Indicadores KPI (Key Performance Indicators) e KRs (Key Results), comentados anteriormente, são um conjunto de objetivos e metas que a empresa define a fim de manter uma avaliação constante dos resultados produzidos. O processo de criação destas metas exige que a empresa considere o seu negócio como um todo, incluindo o segmento de atuação, a estrutura e os objetivos.


Indicadores de desempenho

Utilizar os indicadores corretos para cada objetivo previsto é uma maneira assertiva para conquistar resultados significativos para a empresa, evitando riscos e perdas. Nesta fase, há 3 tipos de indicadores - operacionais, táticos e estratégicos, detalhados a seguir.


Indicadores operacionais: medem a eficiência dos processos do negócio para tomadas de decisão no dia a dia das operações de campo, principalmente corretivas. Nesta categoria, os dados a serem analisados podem ser obtidos dos relatórios diários, sendo interpretados por meio de planilhas automatizadas e painéis/dashboards estruturados.


São exemplos de indicadores operacionais o tempo produtivo e improdutivo de cada operação, a quantidade de não conformidades e manutenções de veículos e equipamentos e a quilometragem produtiva e improdutiva de cada viagem.


Indicadores táticos: apresentam dados analíticos específicos de cada área, que orientam os gestores para tomadas de decisão relacionadas aos objetivos e metas estratégicas, como a comparação entre as receitas real e prevista para determinado serviço.


Indicadores estratégicos: conduzem metas de desempenho visando atingir os objetivos definidos no planejamento estratégico, como a lucratividade e nível de satisfação dos clientes.


De maneira geral, os 3 indicadores se auxiliam mutuamente em benefício da empresa. Mas o que garante a efetividade desta ferramenta é o acompanhamento contínuo das medidas estabelecidas diante dos cenários vigentes.


A Co.Urban recomenda

>> Programe reuniões mensais para acompanhar o andamento das ações e avaliar os resultados, garantindo análises mais detalhadas e tomadas de decisão ágeis por parte dos gestores, evitando perdas e aproveitando oportunidades.


>> Crie mecanismos para garantir que o andamento do planejamento estratégico e plano de ações seja revisitado diariamente, assegurando o alinhamento e engajamento de todos os envolvidos.


>> Identifique resultados não alcançados e realize a análise de causa, interpretando os problemas relacionados para resoluções mais assertivas. A análise de causa deve ser sempre seguida de ações corretivas, mas principalmente preventivas, para que as situações não sejam recorrentes.


Leitura interessante!!! Dá até vontade de começar a agir agora, né?! Conte com a Co.Urban para te ajudar a analisar com mais agilidade visando operações de campo mais eficientes. #somoscourban


10 visualizações0 comentário